Engenheiros da Natureza – Como alguns animais conseguem transformar o ambiente em que vivem

Desde os primórdios da humanidade, alteramos o solo, os rios e as paisagens que nos cercam.  Com nossa inteligência coletiva, fomos capazes de criar sistemas de drenagem de água, cidades com milhões de habitantes, estruturas que podem ser vistas do espaço e, até mesmo, monumentos que já duram milhares de anos e que, provavelmente, continuarão aqui mesmo depois que formos extintos. Entretanto, ao longo de milhões de anos de evolução, diversos grupos de animais do nosso planeta desenvolveram técnicas de construção e de manipulação ambiental extremamente complexas, superando, em alguns casos, até mesmo as construções humanas!

Peixes

Embora diversos peixes tenham a capacidade de construir ninhos e tocas complexas (com destaque para os ciclídeos), nenhum se compara à capacidade criativa do baiacu japonês chamado Torquigener albomaculosus. Por muitos anos, mergulhadores na costa do Japão observaram estranhas estruturas submersas, com mais de dois metros de diâmetro, que rapidamente ficaram conhecidas como “círculos nas plantações marinhos”, em referência a estranhos padrões observados em regiões agrícolas dos Estados Unidos e Europa e atribuídos por alguns a alienígenas.

Resultado de imagem para Torquigener albomaculosus

Felizmente para os cientistas locais, o mistério foi solucionado nos anos 90 e o criador desses padrões era um pequeno peixe, com pouco mais de 12 centímetros de comprimento. Para atrair fêmeas, os machos dessa espécia criam esses gigantescos ninhos de areia, cujo formato faz com que a areia de seu centro, onde os ovos da fêmea serão depositados, não sofra com correntes marinhas e permaneça inalterado nas próximas duas semanas, tempo em que o macho guardará seu ninho sozinho.

Resultado de imagem para Torquigener albomaculosus
Macho de Torquigener albomaculosus construindo seu ninho – Por Yoji Okata

 

Mamíferos

Desde seu surgimento, os mamíferos vêm criando uma enorme variedade de tocas subterrâneas, sendo essas as mais complexas dentre os vertebrados. Acredita-se, inclusive, que os mamíferos tenham se originado de uma linhagem de mammaliaformes cavadores no período Triássico e, em diversas linhagens, retornaram para a vida fossorial. A primeira toca de mammaliaforme conhecida pertence ao Docofossor brachydactylus, um pequeno docodonte do Jurássico que vivia grande parte da sua vida em túneis simples. 

Esquema do esqueleto e representação gráfica do Docofossor brachydactylus – Por April I. Neander

Dentre todos os grupos de mamíferos, o que mais se destaca atualmente na construção de tocas são os roedores. O rato-toupeira-pelado, por exemplo, vive em colônias de até 300 indivíduos, governadas por uma rainha e com uma hierarquia muito semelhante à das formigas, na qual operárias irão construir uma grande rede de túneis interligados com mais de quatro quilômetros de comprimento, com separações de câmaras para diferentes funções, cavados com seus incisivos. 

Resultado de imagem para naked mole rat burrow
Túnel subterrâneo de um rato-toupeira-pelado (Heterocephalus glaber)

Os cães-das-pradarias (gênero Cynomys) vivem em grandes cidades subterrâneas, em campos abertos da América do Norte. Historicamente, a maior dessas cidades, no Texas, tinha uma população de 400 milhões de indivíduos e ocupava uma área de 64.000 quilômetros quadrados. Embora as populações desses animais tenham decaído drasticamente no último século, suas técnicas de engenharia mantiveram-se as mesmas. Primeiramente, eles constroem um grande túnel com duas entradas, que servirá como uma “avenida principal” em sua cidade. De todos os lados, diversas câmaras serão feitas, para funcionar como residência para as famílias, berçários, depósitos de alimentos e banheiros comunitários.

Resultado de imagem para prairie dog
Família de cães-da-pradaria (Cynomys ludovicianus)
Imagem relacionada
Esquema de toca coletiva de cão-das-pradarias

Além disso, suas cidades contam com um sofisticado sistema de ar-condicionado natural, no qual há um fluxo constante de ar para dentro das tocas, baixando as temperaturas e renovando o oxigênio disponível para esses animais.

Resultado de imagem para prairie dog burrow air
Esquema de “ar-condicionado” dos cães-da-pradaria, construído com base em uma diferença de pressão entre as entradas da toca.

Um outro construtor extremo é o extinto Palaeocastor fossor, animal semelhante ao castor, que viveu no Mioceno e que criava estruturas perfeitamente espiraladas com até 3 metros de profundidade , cujo modelo nenhum animal foi capaz de copiar até hoje.

Imagem relacionada
Toca fossilizada de um Paleocastor, em exposição nos Estados Unidos.
Resultado de imagem para Palaeocastor
Representação de tocas de um Paleocastor – Por Julio Lacerda

Atualmente, existem outras duas espécies de castor capazes de construir estruturas tão surpreendentes quanto as tocas de seus primos extintos. O castor-americano (Castor canadensis) e o castor-europeu (Castor fiber) vivem em rios e lagos de grande parte do Hemisfério Norte (tendo sido introduzidos na Argentina) e, ao contrário do que muitas pessoas pensam, esses animais não vivem em represas. Caso encontrem um lago para morar, os castores irão derrubar árvores (roendo a base com seus dentes) e utilizarão seus galhos para construir uma toca semi-flutuante, cuja entrada se encontrará submersa, e onde irão dormir e criar seus filhotes.

Resultado de imagem para castor den
Toca semi-flutuante de um castor em um lago
Resultado de imagem para beaver den
Esquema de uma toca de castor

Caso esses animais não encontrem um lago adequado, eles irão coletar galhos para construir uma represa, criando, assim, lagoas artificiais, nas quais erguerão sua toca. Esses animais são capazes de modificar o curso de rios deliberadamente, de criar vazantes e, até mesmo, de criar micro ecossistemas inteiros. A maior represa de castores do mundo, no Canadá, possui 850 metros de comprimento,  sendo quase três vezes mais comprida que a represa de Hoover, em Nevada.

Resultado de imagem para beaver building a dam
Castor construindo uma represa
Imagem relacionada
Represa de castores na Argentina

Aves

Diversas famílias de aves adquiriram o hábito de fazer ninhos complexos de forma independente, para oferecer maior proteção e criar um microambiente com temperatura favorável para seus filhotes ou para atrair o sexo oposto. Desde ninhos feitos de barro a estruturas suspensas que pesam toneladas, esses animais conseguem construir as mais belas casas do reino animal. Apesar de extremamente elaborados, eles não possuem grande impacto em seu ambiente.

Resultado de imagem para sociable weaver bird
Ninhos comunitários do pássaro-tecelão (Philetairus socius) podem pesar várias toneladas
Resultado de imagem para bowerbird
Os pássaros-cetim da Oceania são conhecidos por criarem ninhos complexos adornados com frutas e flores coloridas para atrair parceiros
Resultado de imagem para joao de barro
João-de-barro (Furnarius rufus) ao lado de seu ninho
Resultado de imagem para Baya weaver birds
Ninho de grama trançada de um Ploceus philippinus

Artrópodes

Dentre os artrópodes, as aranhas são os mais conhecidos entre os construtores. Apesar de possuírem teias extremamente elaboradas, nesse texto elas serão apenas citadas, uma vez que suas estruturas são pequenas, com raras exceções, podendo chegar a até 25 metros de comprimento. Esses animais serão abordados em um texto futuro.

Resultado de imagem para spider web
A seda produzida pela aranha está entre as substâncias orgânicas mais resistentes do planeta

Dentre os Hymenopteros (ordem que também inclui abelhas e vespas), as formigas são os animais com maiores habilidades de construção. Além disso, algumas espécies possuem um sistema de castas extremamente complexo, com uma rainha, soldados, mega soldados e diversos tipos de operários, com uma diferença de tamanho de até 500 vezes entre eles. As colônias contínuas podem chegar a até 7 milhões de indivíduos, distribuídos entre os aposentos reais, quarteis generais, berçário, fazendas de fungos e depósito de dejetos. A maior dessas cidades contínuas foi descoberta aqui no Brasil, com uma área de 50 metros quadrados e mais de 8 metros de profundidade e sua construção moveu mais de 40 toneladas de terra.

Underground city: The network of tunnels and dens built by millions of Leaf Cutter ants in Brazil
O maior formigueiro contínuo já descoberto, com mais de 50 metros quadrados
Sophisticated: Scientists reveal concrete casts of the circular chambers and roads connecting them
Imagem mostrando as diversas câmeras que compunham o formigueiro gigante

Entretanto, um outro grupo de animais supera todos os outros de nossa lista: os cupins. Embora pequenos e sem um “plano de construção”, os cupins conseguem criar verdadeiros impérios, assim como as formigas, com uma pequena diferença: o seu tamanho. Esses insetos, com poucos milímetros de comprimento, são capazes de criar chaminés para ventilar a colônia com até 8 metros de altura, em um sistema ainda mais eficiente que o dos cães-da-pradaria.

Resultado de imagem para 8 meters termite mound
Chaminé de um cupinzeiro com 6 metros de altura na Austrália – Fotógrafo desconhecido
Resultado de imagem para termite mound air
Fluxo de ar em um cupinzeiro

Entretanto, no final de 2018, cientistas publicaram na revista Current Biology a descoberta de um cupinzeiro de 4 mil anos de idade, que abrangia a Bahia e o norte de Minas Gerais. Com uma área total de mais de 230 mil quilômetros quadrados, essa megalópole é tão grande quanto a Grã-Bretanha, sendo, portanto, a maior estrutura biológica do planeta, maior que nossas maiores cidades. Para sua construção, foram movidos mais de 10 km cúbicos de terra, o suficiente para construir quatro mil vezes as Pirâmides de Gizé .

Botanist Roy Funch carried out radioactive dating to determine the age of the giant termite mounds near Palmeiras
Uma das 200 milhões de chaminés de ventilação da maior cidade do mundo
Chaminés estão espalhadas em uma área de 230 mil quilômetros quadrados – Fotos por Roy Funch
Resultado de imagem para Syntermes dirus
Espécie responsável pela colônia gigante

 

Embora esses animais não tenham um vasto conhecimento em matemática, física ou química, eles são capazes de parar rios, derrubar árvores, criar sociedades e construir estruturas grandes o bastante para serem vistas do espaço. Além de aprendermos com suas técnicas, esses organismos são capazes de nos ensinar a ter humildade perante a natureza e de nos mostrar que a coletividade pode, literalmente, mover montanhas.

 

Referências

Baiacu

https://blog.nationalgeographic.org/2013/08/15/whats-this-mysterious-circle-on-the-seafloor

https://www.smithsonianmag.com/smart-news/pufferfish-create-underwater-crop-circles-when-they-mate-620736/

Docofossor

https://www.washingtonpost.com/news/morning-mix/wp/2015/02/13/meet-the-furry-jurassic-period-critters-that-outwitted-the-dinosaurs/?utm_term=.d65fd93eec74

Rato-toupeira-pelado

https://nationalzoo.si.edu/animals/naked-mole-rat

Cão-das-pradarias

https://www.britannica.com/animal/prairie-dog

Palaeocastor

http://www.eartharchives.org/articles/legend-of-the-devil-s-corkscrews/

Castor

https://www.telegraph.co.uk/news/worldnews/northamerica/canada/7676300/Worlds-biggest-beaver-dam-can-be-seen-from-space.html

Formigas

Como é o interior de um formigueiro?

https://www.coolweirdo.com/giant-ant-hill-megalopolis-discovered-in-brazil.html

https://www.dailymail.co.uk/sciencetech/article-2095335/Underground-ant-city-Brazil-rivals-Great-Wall-China-labyrinth-highways.html

Cupim

https://www.independent.co.uk/news/science/termite-colony-brazil-bigger-britain-pyramids-university-of-salford-study-a8668136.html

https://www.cell.com/action/showPdf?pii=S0960-9822%2818%2931287-9

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: